Segunda-feira, 28 de Maio de 2007

Elogios a Portugal na despedida

Há sinais "encorajadores" da emergência de uma democracia multipartidária em Timor-Leste, disse o chefe da missão das Nações Unidas neste país, Atul Khare. Trata-se, porém, de um processo “longo” e que necessita de "apoio continuado" da comunidade internacional, nomeadamente nas áreas da justiça, segurança, educação, saúde e formação de quadros, acrescentou, numa conferência sexta-feira, ao fim da tarde, na Fundação Mário Soares, em Lisboa.

 

A conferência encerrou três dias de visita do representante especial do secretário-geral da ONU (Ban Kimoon) a Portugal, durante os quais este se avistou com o Presidente da República, Cavaco Silva, e com os seus antecessores, Jorge Sampaio e Mário Soares, com o primeiro-ministro, José Sócrates, e vários membros do seu Governo, e com os deputados que integram as comissões dos Negócios Estrangeiros e da Defesa da Assembleia da República.

 

Em declarações no final da visita, Atul Khare salientou a "relação única" que Portugal e Timor-Leste mantêm e o "importante papel" que Portugal desempenhou naquele país, particularmente na assistência que para ali tem canalizado através das Nações Unidas. Serão necessários ainda "três a cinco anos" para que uma força de polícia "profissional e embebida de um espírito de serviço à comunidade" seja criada em Timor-Leste, previu, agradecendo as contribuições "muito significativas" dadas pela GNR e PSP na "área crítica" da segurança.

 

Atul Khare foi acompanhado nesta visita pela portuguesa Sónia Neto, que tem vindo a exercer o cargo de sua conselheira durante o processo eleitoral em curso. Sónia Neto integra, desde Junho passado, o gabinete de assessores políticos do presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, que autorizou o pedido do chefe da missão da ONU para que a funcionária internacional portuguesa permanecesse em Timor-Leste ao longo daquele período. Sónia Neto foi chefe de gabinete, entre 2001 e 2006, do então ministro dos Negócios Estrangeiros timorense, José Ramos-Horta, depois de ter passado por vários PALOP ao serviço das Nações Unidas.

 

 

Fonte: Público

Data: 27-05-07

Pág. 21

Autor: Adelino Gomes

Por Zito Soares às 08:22
| Comentário

»Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

»Posts Recentes

» Que substituirá a Social-...

» Timor-Leste: MARI ALKATIR...

» Timor-Leste: INDONÉSIA VA...

» Quem derrubou as torres e...

» De St. Austell para Oxfor...

» Os encantos de Coimbra

» Memória da ocupação de Em...

» Memória da ocupação de Em...

» Memória da ocupação de Em...

» Memória da ocupação de Em...

»Arquivos

blogs SAPO

»subscrever feeds