Terça-feira, 24 de Julho de 2007

Democracia timorense

Os actuais líderes políticos que compõe hoje o panorama político-partidário do nosso país, muitos deles estiveram juntos a frente do combate pela libertação. Muitos deles foram combatentes da Frente Armada, outros combateram na Frente Diplomática e outros tantos combateram silenciosamente na Frente Clandestina. Todos contribuíram para a vitória estrondosa no referendo de 30 de Agosto de 1999 que fez nascer das cinzas uma nova nação – a Nação Timorense.

 

No auge da luta, todos sonharam que um Timor-Leste independente venha adoptar o sistema republicano e multipartidarismo onde reina a liberdade de opinião, liberdade de imprensa, etc...

 

Hoje, 5 anos depois do reconhecimento formal da nação timorense, interessa-me ver o combate político entre os mesmos líderes de outrora no ambiente democrático onde se trava ideias, propostas e soluções para os problemas que o povo enfrenta diariamente na sua vida quotidiana. O processo democrático e a construção da democracia timorense dependem em parte deste combate e que ele seja feita duma forma pedagógica e construtiva. O exemplo deve ser demonstrado pelos líderes.

 

Por mais perfeita que seja uma ideia, uma solução ou proposta em cada cinco anos o povo será chamado para avaliar o desempenho dos partidos políticos e as suas propostas.

Por Zito Soares às 11:08
| Comentário

»Setembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

»Posts Recentes

» Que substituirá a Social-...

» Timor-Leste: MARI ALKATIR...

» Timor-Leste: INDONÉSIA VA...

» Quem derrubou as torres e...

» De St. Austell para Oxfor...

» Os encantos de Coimbra

» Memória da ocupação de Em...

» Memória da ocupação de Em...

» Memória da ocupação de Em...

» Memória da ocupação de Em...

»Arquivos

blogs SAPO

»subscrever feeds